sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Revigorante!

Depois de mais de 100 dias sem chuva, eis que ela dá o ar da graça em Araçatuba. Lembrei-me de uma conversa interessante que tive esta semana com o professor Sidney, na sala dos professores. Ele comentou sobre a imensa pequenês do ser humano: "Nós não somos nada, amiga. Se essa sequidão continuar por uns dois anos é capaz de dizimar populações..." E ele completou: "Tem gente que se acha demais; tem tanta arrogância e não vê que é tão frágil..." Concordo!
Respirando fundo esse ar maravilhoso, repleto de umidade e pureza, me certifico de como tendemos a valorizar o supérfluo e a ignorar o fundamental! Ultimamente, ando mudando meus conceitos. Na verdade, sempre primei pelo meu bem-estar, mas não agia a favor disso...
A gente "corre" tanto na vida, em busca de luxo, de status, de coisas materiais e, quando percebemos, estamos sobrevivendo, empurrando a verdadeira vida "com a barriga" e vivenciando uma pseudovida!
Como mortos-vivos, permitimos que essa vida "fake" nos torne cada dia mais estressados, intolerantes, irados, desanimados, descrentes e frios! Cadê uma perspectiva verdadeira de viver a vida?!
Para tudo! A felicidade está nas coisas simples. Ganhar dinheiro é importante, mas desde que não seja em detrimento da saúde física e mental e da alegria de viver.
Pense comigo: nossa expectativa de vida é de uns 80 anos... Parece muito, né? Temos bastante tempo ainda, né? Depois a gente cuida da saúde; vamos primeiro acumular bens!!! Se nesse meio tempo ocorrer algum imprevisto, como um acidente fatal, um infarto fulminante, AVC mortal, câncer e etc, o dinheiro fica aqui, com outras pessoas que vão gastá-lo sabe-se lá como! Sem contar que se nada disso acontecer, o tempo corre ligeirinho, ligeirinho... E a vida passa, a idade chega, os filhos crescem...

Vou parar por aqui.. É que esse cheirinho de chuva me faz querer viver!
Vou lá fora, andar a pé e sentir o quão gostosa é a vida!
Obrigada, meu Deus...

5 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Concordo com você, Ágatha! O homem modifica a sociedade e acaba se tornando escravo dela!

    A vida precisa ser vivida intensamente!

    Abraços...

    ResponderExcluir
  3. Olá. adorei reencontrá-la na Facu....
    Adorei seu texto o qual diz a mais pura verdade....
    Parabéns..

    ResponderExcluir
  4. Prof :)
    Ótimo texto... To adorando acompanhar seu blog...
    Sempre que o professor Sidney toca nesse assunto eu também paro e fico pensando... Realmente nós humanos não somos nada...
    O jeito é darmos valor ao que é bom nessa vida afinal de contas tolice é viver por viver ;)
    Beijo Agathinha! ;*

    ResponderExcluir